10/05/2017

A mãe que eu deveria ser

Logo cedo, a caminho da escola, Isa me deu essa florzinha acompanhada de um beijo e um "EU TE AMO, MAMÃE" cheio de ternura!!!


Depois que a deixei na escola, segurando a florzinha na mão, voltei refletindo...
Como toda mãe, me culpo!!!
Me culpo por não poder fazer mais por minha filha.
Me culpo de não ter uma vida melhor, uma casa maior pra ela.
Me culpo por muitas vezes ter perdido a paciência, erguido a voz ou não ter a compreendido de alguma maneira.
Me culpo por não ter a encontrado antes e evitado que ela sofresse tantas coisas.
E por último...me culpo, pq a sociedade me culpa...a sociedade culpa as mães por tudo!!! E acreditem...por ser mãe por adoção, sou ainda mais perseguida e julgada...por puro preconceito!!!
Mas sabe...quando recebo gestos de amor tão simples como esse. Quando recebo um beijo, um abraço, um olhar, um carinho, um "eu te amo", "amo minha família"...enfim...
Vejo que pra minha filha nada disso importa!!!
Pra ela, o importante é eu estar ali. É ela me ter como mãe!!! Pra ela, sou a mãe "perfeita", a mãe que deveria estar ali!!!
Sou a mãe que quando ela caiu da cama essa noite (sim...ela sonhou e caiu da cama...rs) a levantou, abraçou e disse que estava tudo bem!!!
Sou a mãe que dou a mão pra que ela atravesse a rua (e vcs não sabem a importância que isso tem pra ela)!!!
Sou a mãe que oro com ela todas as noites, a cubro e a beijo!!!
Sou a mãe que deveria ser e dou o meu melhor, mesmo errando!!!
Quando percebo tudo isso, vejo que pouco importa o julgamento das pessoas ou minhas próprias culpas...o que importa é o que minha filha pensa de mim!!!
E cada vez mais vou me dedicar a ser, dentro das minhas possibilidades, a melhor mãe que ela poderia ter...pq amor, ah...amor não falta!!!

Priscila Pas

Nenhum comentário:

Postar um comentário